Entre os dias 02 e 06 de novembro Ouro Branco realmente acolheu e participou das atividades oferecidas pelo Alagoas Colaborativo. A população mostrou-se receptiva e interessada em criar conteúdos sobre sua cidade e sua cultura. E foi por isso, que a equipe do projeto, em colaboração com agitadores culturais da cidade, com apoio da Secretaria de Cultura, promoveu o I Encontro Cultural do Alagoas Colaborativo.

 

Antides da Rebeca e dona Regina

O resultado de tanto entusiasmo da população pôde ser visto na praça central, onde mais de 500 pessoas foram prestigiar os artistas locais como as bandas de Fanfarra mirim e adulta, ambas regidas pelo entusiasta Maestro Neném, o Sr. Antídes da Rabeca, o grupo de teatro da Igreja Batista Shekinah, o Sr. Tião com seu cavaquinho e a banda de Pífanos do Sr. Gerson Carlos.  Além disso, todos os vídeos produzidos pela equipe do Alagoas Colaborativo nos outros municípios foram apresentados. Enfim, um momento valioso e que pode ser conferido através do vídeo produzido e disponibilizado no youtube.

 

Pedra da Capelinha

Os melhores pontos turísticos de Ouro Branco são a Pedra da Capelinha, uma grande pedra localizada na Zona Rural, onde os antepassados deixaram suas lembranças como gravuras em desenhos de animais e sinais até então desconhecidos, e o Lajedo Grande, a maior rocha da região que ocupa um espaço de cinco mil m² e proporciona uma bela vista da cidade.

Restaurantes em Ouro Branco

Algumas dicas de locais para fazer as refeições em Ouro Branco:

Restaurante Bom Paladar: é um restaurante Self Service que fica no centro da cidade, a comida é muito boa e o doce de leite é uma ótima sobremesa do local. O quilo da comida custa R$ 16,00.

Churrascaria Ponto 10: fica na entrada da cidade, pela rodovia AL-220, a nossa equipe provou o churrasco misto para quatro pessoas que custa R$ 28,00.

Caso sinta dificuldade em encontrar os lugares indicados, não se preocupe, os moradores de Ouro Branco terão prazer em ajudá-lo.

Oficina de Cultura Digital em Ouro Branco

 

Igreja Matriz de Santo Antonio de Pádua

A equipe do Alagoas Colaborativo realizou a atividade no Telecentro Comunitário da cidade, um local administrado pela prefeitura com dez computadores, rede sem fio e internet banda larga via rádio. A oficina contou com a participação de 12 pessoas e foi bem dinâmica. Após a apresentação do projeto, o grupo foi dividido em três para sair pela cidade e captar vídeos com temas definidos pelos próprios participantes. A feira livre, as lan houses e a poluição que afeta a cidade foram os temas documentados. Os vídeos serão disponibilizados no youtube.

Um pouco Sobre Ouro Branco

 

Lajedo Grande

A cidade de Ouro Branco surgiu por volta de 1830 e chamava-se Olho D’Água do Cajueiro, por causa de uma cacimba que ficava embaixo de um grande cajueiro muito conhecido na região. Em 1901 foi elevado à categoria de vila, chegando a sofrer ataques de bandos de cangaceiros chefiados por Antônio Purcino e Lampião. O nome atual do município é devido às plantações de algodão que existiam no local e quem decidiu rebatizar o lugar  foi um dos líderes comunitários da época, Antônio Jiló de Campos, que resolveu homenagear este belo cenário da cidade. A emancipação política de Ouro Branco aconteceu no dia 17 de maio de 1962 através da portaria 2.445/62 e a instalação da cidade aconteceu em 21 de junho do mesmo ano. O território foi desmembrado oficialmente do município de Santana do Ipanema.

 

Por do Sol em volta da Pedra da Capelinha

Os melhores pontos turísticos da cidade são a Pedra da Capelinha, uma grande pedra localizada na Zona Rural, onde os antepassados deixaram suas lembranças como gravuras em desenhos de animais e sinais até então desconhecidos, e o Lajedo Grande, a maior rocha da região que ocupa um espaço de cinco mil m² e proporciona uma bela vista da cidade.

Entre os eventos que mais movimentam a cidade estão a festa de Santo Antônio de Pádua, padroeiro da cidade (01 a 13 de junho), a festa do Dia da Independência (7 de setembro) e a festa da Emancipação Política Municipal (21 de junho).

A craibeira

Craibeira (árvore típica da região semi-árida)

A craibeira é uma árvore de porte elevado, tem inestimável valor estético, destacando-se na paisagem da caatinga por sua beleza natural, principalmente na floração, normalmente em novembro/dezembro, época da estação seca no semi-árido.

A sabedoria popular diz que “onde nasce craibeira, tem um olho d’água” ou “quando as craibeiras florecem bastante, significa que o próximo ano será bom de inverno”.

Em Ouro Branco, esta árvore além de dá sombra, embeleza a paisagem e é usada para fabricação de móveis, como: cadeira, mesa, estantes, etc.

Ficha técnica:

Distante 245 km da capital de alagoana, Maceió;

Território: 205,4 km²;

Clima: semiárido;

População: 11.504 habitantes (IBGE – 2009).

 

Veja mais Fotos:

 

 

Fonte: Alagoas Colaborativo