Número de divórcios em 2010 foi o maior desde 1984. Casais estão formando novas famílias e tendo filhos mais tarde.

O IBGE apresentou nesta quarta-feira (30) as mudanças no perfil das famílias brasileiras. O número de divórcios em 2010 foi o maior desde 1984.

Ana é advogada, mulher de uma geração que começou a fazer tudo mais tarde. “Eu casei com 28 anos. Tive filho o primeiro filho com quase 30 anos. A gente se separou, acho que eu tinha 34 anos”, contou a advogada Ana Luísa Porto Borges.

Mas isso não significou romper laços. O ex está visitando a casa dela junto com a nova esposa, que também se casou mais tarde. “Eu constituí família em uma idade mais avançada, com mais experiência, com menos dúvidas que nossos pais. Acho que isso é ótimo para nós e para os nossos filhos”, disse a advogada Cristiane Meneghini de Siqueira.

Ricardo tem dois filhos com Ana, e dois com Cristiane. “Não há ressentimento, as pessoas podem conviver pacificamente e ter uma qualidade de vida muito boa nessa nova família”, afirmou o também advogado Ricardo Machado de Siqueira.

As escolhas feitas pela Ana, o Ricardo e a Cristiane têm se repetido Brasil afora nos últimos anos. Gente que se casa mais tarde, tem filhos mais tarde e não tem medo de recomeçar forma o novo retrato família brasileira.

De 2000 para 2010, a idade média dos homens que se casaram passou de 27 para 29 anos e das mulheres de 24 para 26 anos. Mudanças que tornaram o processo mais rápido fizeram o número de divórcios subir de 1,4% para cada mil pessoas em 2009, para 1,8% para cada mil pessoas em 2010.

Mas o número de casamentos também vem aumentado: 4,5% mais que em 2009. E pouco mais de 18% dessa uniões foram o que o IBGE chama de recasamento. “Esse quadro reflete um pouco o processo de modernização da sociedade brasileira, algo já visto nas outras sociedades que rapidamente acontece aqui no Brasil”, explica Jefferson Mariano, analista socioeconômico do IBGE.

Fonte: G1