Foi a união do simples com o sofisticado. O resultado? Mais um título da Unidos da Tijuca no Carnaval do Rio de Janeiro (o terceiro no Grupo Especial). Com o enredo “O Dia Em Que Toda A Realeza Desembarcou Na Avenida Para Coroar O Rei Luiz Do Sertão”, a escola fez homenagem a Luiz Gonzaga, em comemoração aos 100 anos de seu nascimento.

Se o tema era conservador, o mesmo não pode ser dito jamais sobre o carnavalesco Paulo Barros e sua criatividade. Com um show para os olhos, a Tijuca foi escolhida a melhor da folia carioca nesta quarta-feira (22) à tarde.

O Salgueiro ficou em segundo, atrás por apenas dois décimos. A escola voltará à Marquês de Sapucaí no sábado (25), no Desfile das Campeãs. Com ela também estarão Vila Isabel (3º lugar), Beija-Flor (4º lugar), Grande Rio (5º lugar) e Portela (6º lugar).

Caíram para o Grupo de Acesso Porto da Pedra e Renascer de Jacarepaguá.

Confira a classificação e pontuação final:

1. Unidos da Tijuca: 299,90 pontos
2. Salgueiro: 299,70 pontos
3. Vila Isabel: 299,50 pontos
4. Beija-Flor: 298,90 pontos
5. Grande Rio: 298,30 pontos
6. Portela: 297,20 pontos
7. Mangueira: 297 pontos
8. União da Ilha: 296,20 pontos
9. Mocidade Independente de Padre Miguel: 295,80 pontos
10. Imperatriz Leopoldinense: 295 pontos
11. São Clemente: 294,70 pontos
12. Porto da Pedra: 291,70 pontos
13. Renascer de Jacarepaguá: 290,20 pontos

Este slideshow necessita de JavaScript.

CONHEÇA A UNIDOA DA TIJUCA – SUA HISTÓRIA

Criada em 1931, a Unidos da Tijuca pode ser considerada uma das escolas de samba mais antigas do Brasil. Ela surgiu a partir da união de blocos já existentes próximos ao Morro do Borel, local onde vivia a maioria dos foliões da região. Leandro Chagas, João de Almeida, Pacífico Vasconcelos, Tatão, Alfredo Gomes, Marina Silva, Orlando da Costa, Zeneida Oliveira e Regina Vasconcelos são os nomes dos responsáveis pelo nascimento da agremiação.

Campeã do Carnaval do Rio de Janeiro pela primeira vez em 1936, a Unidos da Tijuca apresentou na Praça Onze, onde eram realizadas as disputas, um fato ainda inédito: alegorias que faziam alusão ao enredo escolhido, no caso “Sonhos Delirantes”.

Entre os anos de 1960 e 1980 a escola passou por uma má fase e desfilou continuamente no Grupo II. Foi somente nesta última data que a Tijuca acertou na fórmula e conseguiu voltar para a principal categoria do Carnaval carioca.

Depois disso, os resultados continuaram nada expressivos e, em 1998, aconteceu mais um rebaixamento. A escola voltou ao Grupo Especial já no ano seguinte, após uma vitória com o tema “O Dono da Terra”.

Outro ponto alto da agremiação aconteceu em 2004, após a contratação de Paulo Barros. Falando dos avanços da Ciência e apresentando o clássico carro-alegórico do DNA, a escola conquistou um vice-campeonato. O mesmo aconteceu no ano seguinte, com um enredo que falava de cidades e reinos do imaginário humano.

Em 2007, Paulo Barros deixou a Unidos da Tijuca e foi substituído por Lane Santana e Luiz Carlos Bruno. Porém, Barros retornou para a escola em 2010 e, após um jejum de 74 anos, deu à agremiação o título com o enredo “É Segredo!”.

Fonte: MSN/ENTRETENIMENTO/CARNAVAL 2012

Anúncios