Carolina Pimentel

Repórter da Agência Brasil

Brasília – Pela terceira vez, José Maria Eymael disputa o posto de presidente do Brasil pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC). A trajetória política de Eymael começou em Porto Alegre (RS), onde foi um dos líderes da Juventude Operária Católica.Em 1962, filiou-se ao Partido Democrata Cristão (PDC), teve atuação como líder jovem do partido e concorreu a seu primeiro cargo eletivo: prefeito de São Paulo, em 1985 – momento em que lançou um dos jingles mais conhecidos das campanhas eleitorais do país.

No ano seguinte, foi eleito deputado federal pelos estado de São Paulo. Em 1990, conquistou o segundo mandato na Câmara dos Deputados. Como parlamentar federal, Eymael atuou na Comissão de Finanças e apresentou projetos de apoio à pesquisa e à pequena empresa, além de ter defendido a manutenção da palavra Deus no preâmbulo da atual Constituição Federal durante a Assembleia Constituinte, considerado um marco em sua trajetória política.
Na década de 90, a direção do PDC definiu pela fusão da legenda com o Partido Democrático Social (PDS). Contrário à decisão do partido, Eymael e outros integrantes deixaram a legenda e decidiram fundar o Partido Social Democrata Cristão, em 1995. O PSDC só conseguiu o registro definitivo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 1997, quando Eymael foi eleito presidente do partido.

Quatro anos depois da fundação do PSDC, Eymael disputa pela primeira vez o cago de presidente da República – pleito que elegeu o candidato do PSDB, Fernando Henrique Cardoso (1998). Em 2002, coordenou a campanha do partido nas eleições – ocasião em que o PSDC elegeu seu primeiro deputado federal. Na eleição de 2006, Eymael voltou à corrida presidencial, que foi vencida pelo petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Em novembro do ano passado, foi escolhido pré-candidato do PSDC à Presidência da República em encontro de presidentes dos diretórios estaduais do partido, na cidade de Aracaju (SE). No programa do PSDC, a educação é colocada como prioridade nacional, “com justa remuneração aos professores, em todos os níveis, e apoio ao ensino profissionalizante” entre outros.

Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência BRASIL

Anúncios